Fantasmas coreanos - Parte 1

Imagem: http://economysegye.segye.com/

Mitos e lendas de fantasmas e assombrações são comum em qualquer cultura. Descubra nesta série de posts, fantasmas coreanos. Hoje você vai conhecer os Gwishin (귀신).

Os gwishin (귀신), são as almas aprisionadas neste mundo que, por algum motivo não conseguiram deixá-lo. Geralmente são aquelas pessoas que morreram cheias de mágoa e ressentimento, vítimas de um destino injusto. Acredita-se que elas só podem deixar a terra após conseguirem encontrar a paz. Em busca dessa paz, os gwishin assombram até conseguir a vingança, ou se livrar do ódio preso a eles.

As versões mais famosas são as femininas (tratadas na maioria dos filmes e dramas de fantasmas). Uma delas sendo os gwishin cheonyeo (처녀 귀신), fantasmas de moças virgens que vestem o sobok (소복), roupas tradicionais de luto (parecidas com um hanbok branco), que mantém seus cabelos soltos e despenteados. Há também versões masculinas que são chamadas de gwishin Chonggak (총각 귀신), porém não são tão populares quanto as femininas.

Essa cultura é muita forte na Coréia do Sul, tanto que todo fato que aparenta envolver fantasmas, as pessoas já acreditam ser uma gwishin cheonyeo querendo vingança.

Curiosidade:  Death Bell lançado no verão de 2008 que tem no elenco Lee Beom Soo, Yoon Jung-hee, Nam Gyu-hi, além Kim Sang Beom (Kim Bum). É um filme se passa em uma famosa escola particular coreana de alto-nível, o título nativo do filme refere-se a “GOSA”, que são os exames interescolares importantes, onde todos os alunos são obrigados a sentar-se, sem fazer qualquer movimento desnecessário durante a prova. E claro, com uma gwishin cheonyeo assustadora que apavora a todos a cada questão que eles erram durante a prova!

E você, consegue se lembrar de mais algum drama ou filme coreano com alguma gwishin cheonyeo?

Fontes: korea.net e myseoulsearching.com

avatar
About Cecilia Bohrer

Editora de Conteúdo (Belo Horizonte - MG) - Estudante de jornalismo é apaixonada por comunicação, cultura oriental e o meio gospel. É editora do BrazilKorea, chefe de redação do O-Studiomix, apresentadora da Rádio Conexão Kpop, tradutora da page LifeInKorea, repórter do Centro Cultural coreano, trainee de produção de TV na Rede Super, e fez diversas participações em programas e eventos. Além de ser uma grande admiradora da cultura coreana.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *