Festival das Lanternas de Flor de Lotus

Imagem: www.globaltimes.cn/

O Festival das Lanternas de Flor de Lotus (연등회-Yeon Deung Hoe) que comemora o nascimento de Buda, este ano teve um tom diferenciado.

Em homenagem as vítimas do acidente do navio Sewol, o festival contou com uma programação mais sóbria, onde seu principal evento, o Desfile do Festival das Lanternas de Flor de Lotus do  contou com uma marcha de fitas amarelas amarradas as lanternas.

A fita amarela é uma representação do movimento iniciado em uma universidade coreana e que ganhou adesão em diversas redes sociais, trazendo a mensagem “Um pequeno movimento, grandes milagres!”. Ele mostra o sentimento de todos em relação ao acontecido, como uma mensagem de fé, esperança e carinho aos familiares das vítimas.

O Festival das Lanternas de Flor de Lotus é tradicionalmente celebrado no oitavo dia do quarto mês do calendário lunar. Começou a ser realizado no Período Goryeo, há vários séculos atrás. Durante os dias 25, 26 e 27, que são os principais dias do festival, as pessoas podem assistir performances feitas pelos monges, apresentações de música e dança tradicional coreana, fazer seu próprio rosário budista ou sua própria lanterna(que dizem ajudar a encontrar a luz na próxima vida), vestir um Hanbok ou assistir a uma cerimônia tradicional de casamento.

As atividades se estendem ate o dia 11 de maio, nos templos budistas de Seul, onde a decoração dos templos, preces, atividades para estrangeiros e muitas outras atrações estão disponíveis.

O evento principal é o Desfile das Lanternas, realizado no dia 26, que vai da Universidade de Dongguk até o Templo de Jogye (Jogyesa), no qual mais de 100.000 lanternas e carros alegóricos iluminam as ruas do centro de Seul.

O nascimento de Buda este ano será comemorado no dia 6 de maio (feriado nacional)

Mais fotos do Festival das Lanternas de Flor de Lotus AQUI.

Fonte: Global Time, Coisas da Coreia, Visit Korea

avatar
About Jessica

Editora Chefe (Belo Horizonte - MG) Jornalista por formação e comunicóloga por vocação. Tão apaixonada pela cultura coreana, que fala e escreve sobre ela o tempo todo. Trabalha a finco para quebrar os pré conceitos que se existe em relação a Coreia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *