HaetaeMestre e guardião do fogo, o Haetae (해태, muitas vezes escrito Haitai ou Haechi) assemelha-se a um cão com uma juba de leão, bastante similar aos cães de Fogo da China. Saiba mais sobre a história e os simbolismos dessa criatura na Coreia.

De acordo com registros coreanos, o corpo de um Haetae tem a forma de um leão com um chifre (ou dois) na testa (semelhante ao unicórnio) usado para punir aqueles que cometeram o mal. Tem um sino no pescoço, e o corpo é coberto com escamas e penas (como se fosse a forma combinada de um leão, ovelha e unicórnio).

Ainda segundo esses registro, o Haetae vive nas áreas fronteiriças da Manchúria e possui muitos poderes, como a capacidade de parar, retroceder ou avançar rapidamente através do tempo. Esta criatura incomum também pode morder a lua, explicando o período de declínio da lua, e também criar um eclipse.

Haetae é muitas vezes visto fora e dentro de casas e palácio coreanos, colocado como poderoso guardião contra elementos mais destrutivos da Terra. Essa criatura mítica simboliza a justiça e a prevenção de incêndios e desastres.

Na antiga Coreia, as esculturas Haetae foram usadas na arquitetura durante a dinastia Joseon (1392-1910), já que sua imagem era confiável para poder proteger Hanyang (agora Seul) de desastres naturais e para dar lei e ordem entre a população. A cidade de Seul usou oficialmente Haechi (origem de Haetae) como o símbolo de Seul desde 2009,  tornando-se assim figura oficial icônica da capital coreana.

Essa criatura mítica é conhecida por ter-se originado na China e mais tarde introduzida na Coreia; na China é conhecido como Xiezhi; já no Japão ele é conhecido como Kaichi (獬豸).

Da esquerda para direita, Kaichi no Japão, Xiezhi na China e Haetae na Coreia.

Há uma história bem conhecida do Haetae, a respeito de Gwanghwamun, que é o portão principal do Palácio Gyeongbukgung, em ambos os lados do portão você pode ver a palavra “Haetae” virado ao sul. De acordo com Pungsujirisang, houve um incêndio em torno da montanha Gwanaksan que fica em torno do local; a fim de proteger o palácio, estes Haetaes (que se acredita, comem fogo) foram colocados ao lado do portão.

Foto da esquerda, portão Gwanghwamun no início dos anos 1900, foto da direita, nos dias atuais.

A imagem da criatura mítica Haetae evoluiu em muitas formas diferentes ao longo da história, confira abaixo o vídeo apresentando as diversas formas que o Haechi foi representado, organizado pelo comitê de Olimpíadas de Design de Seul, em sua exposição de esculturas denominada “Haechi”.

Quer saber mais sobre a mitologia coreana? Continue acompanhando o BrazilKorea para outras informações!

Fontes de texto e imagens: VisitKorea , Wikipédia, Literarytrebuchet, Teentraveltalk, Pinterest

avatar
About Mariana

Estudante universitária de História, se especializando em História da Ásia. Apaixonada pela cultura Asiática em geral, ama dramas asiáticos, músicas, show de variedades, além de mangás, jogos e animes, principalmente do Studio Ghibli. Um dia acredita que sobre tempo para curtir tudo isso e comece seu tour pela Ásia a partir da Coreia!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *