Imagem: http://13th-hour.net

Imagem: http://13th-hour.net

Ao longo dos últimos anos, tem se multiplicado o número de interessados em aprender coreano. E, para quem quer uma experiência de intercâmbio na Coreia, as universidades ainda são o local preferido pelos estudantes. Nos cursos de coreano intensivos oferecidos por elas, é possível estudar por até dois anos, além de ter instituições que oferecem bolsas parciais ou integrais, o que torna essas aulas mais próximas da realidade dos estrangeiros.

Geralmente, é seguido um padrão de quatro períodos por ano, divididos por trimestres de dez semanas, seguindo sempre as estações do ano, que são intercaladas por férias curtas. As turmas de primavera, por exemplo, começam entre março e abril, enquanto que as de verão ficam para junho ou julho, as de outono se iniciam em meados de setembro ou outubro e as de inverno, em dezembro ou janeiro.

Para se inscrever, muitas instituições pedem que o interessado tenha diploma de Ensino Médio completo ou uma idade mínima de 16 anos, mas as exigências variam entre as universidades. As secretarias que recebem as inscrições dos alunos costumam ter setores para estudantes chineses e para os demais, com profissionais que falam inglês para oferecer um suporte aos estrangeiros diversos. São raros ou inexistentes aqueles que saibam português.

Em relação às aulas, são dadas totalmente em coreano, embora, no primeiro nível, os professores costumem oferecer algum suporte, traduzindo algumas expressões para inglês e chinês. Os dois primeiros níveis são considerados básicos, enquanto o terceiro e o quarto são intermediários e o quinto e sexto, avançados. Assim, por essa lógica, em um ano e meio, a pessoa já estaria apta a conversar quase que fluentemente em coreano.

Valores:

Os preços para o curso de dez semanas podem variar entre mil e dois mil dólares (na cotação atual, pode ultrapassar 6 mil reais). E as próprias universidades, geralmente, contam com dormitórios próprios, muito disputados entre os estudantes, por ser uma estadia barata e mais segura do que se a pessoa fosse procurar por conta própria, com valores entre 200 e 500 dólares (que chega até 1,5 mil reais). Os outros gastos, como alimentação e transporte dependem da cidade onde a pessoa pretende estudar. Seul é o local mais caro do país.

As turmas costumam ser formadas por até 15 alunos, e a maioria das universidades premia os melhores alunos de cada uma delas com bolsas de estudos. Existem inda outras formas de subsidiar as aulas, como por meio de parcerias de instituições coreanas com outras brasileiras para intercâmbio, além do NIIED, programa do governo sul-coreano, que cobre quase todas as despesas de estrangeiros para graduação, mestrado ou doutorado.

A procura pela melhor universidade vai depender do interesse de cada um. E o candidato a uma vaga pode entrar em contato com os setores internacionais das instituições de ensino para verificar as diferentes condições de ensino, assim como os valores. Seguem abaixo algumas opções. Quem quiser se preparar, é só começar as buscas e boa sorte!

. Yonsei University
. Sogang University
. Ehwa Womens University
. Seoul National University
. Chung Ang University
. Korea University
. KyeongHee University
. Soongshil University

avatar
About Ariane Annunciação

Ariane Annunciação (Rio de Janeiro) – jornalista, estudante de História e tradutora freelancer, casada com um coreano, dorameira e apaixonada pela cultura oriental. Morou na Coreia por dez meses entre 2013 e 2014 e mantém um blog sobre sua experiência no país, o http://hangukcomacai.blogspot.com.br/

One Response to Universidades na Coreia oferecem cursos de coreano para estrangeiros
  1. avatar

    Que fantástico! Obrigada pelas dicas!
    Para quem pretende aprender pelo skype com nativos coreanos, recomendo a preply! https://preply.com/pt/skype/professores–coreana


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *